Justiça manda prender empresário acusado de matar assessor parlamentar

Crédito: Reprodução

A juíza Kátia Rodrigues Oliveira, da Vara Única de Poconé, determinou a prisão preventiva do empresário Ezequiel Padilha de Souza Ferreira, acusado de ser um dos executores do assessor parlamentar Sergio Barbieri, de 73 anos, encontrado morto na rodovia Transpantaneira.

Nas redes sociais, Padilha, como é conhecido, negou participação no crime, e que nunca teve envolvimento com os criminosos presos em flagrante.

“Eu não conheço ninguém e nem tenho contato e nunca tive nada com quem está envolvido nesse crime. Hoje a mídia me arrebentou, mas vou voltar com meu direito de resposta”, escreveu.

A ordem de prisão de Padilha foi expedida na mesma decisão em que foi convertida de flagrante para preventiva a prisão de Weverton Cesar de Brito, de 19 anos, apontado pelos outros presos por participação no crime como um dos assassinos de Barbieri.

Conforme o relato da magistrada em sua decisão, o Weverton teria ameaçado de morte os menores que teriam o delatado, inclusive dentro da delegacia de polícia onde estavam presos.

O crime

Sergio Barbieri, assessor do deputado estadual Valdir Moretto, foi encontrado morto na Transpantaneira, em Poconé (104 km de Cuiabá), na madrugada de domingo (28). Barbieri foi assassinado a tiros.

Cinco menores de idade foram apreendidos e um maior preso por suspeita de participação no crime. Uma arma de fogo foi localizada com o grupo, além de objetos pessoais da vítima, como carteira, celular e relógio.

 

Fonte: Repórter MT

Mais notícias

Caseiro é resgatado de trabalho análogo à escravidão após 16 anos sem receber salário

PF investiga furtos de cargas e peças de veículos acidentados

Bandido com extensa ficha criminal é executado com 9 tiros

Homem de 24 anos mata a ex-sogra e esconde corpo em matagal

Ação conjunta da Polícia Militar apreende grande quantidade de drogas na BR-163

Prima encontra jovem morto dentro de residência