Ipiranga/Lucas: SEFAZ fecha cerco contra bando acusado de fraude de R$ 1,4 bilhão ao Fisco Estadual

Crédito: Divulgação

Com uma movimentação estimada de R$ 1,4 bilhão em notas frias, investigados por fraudes ao fisco mato-grossense são alvos da Operação Fraudadores, que nesta quinta-feira (15.03) teve a sua terceira fase deflagrada. A ação é realizada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários, Ministério Público do Estado de Mato Grosso e Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz).

Estão sendo cumpridos três mandados de busca e apreensão contra pessoas físicas e jurídicas nos municípios de Lucas do Rio Verde e Ipiranga do Norte. A operacionalização da ação conta com o apoio das unidades da Polícia Civil localizadas nas duas cidades. As buscas em um dos alvos resultou em um flagrante por posse ilegal de arma de fogo e munições.

A Operação Fraudadores teve início no final do ano de 2022, após a identificação de uma possível organização criminosa envolvendo produtores rurais, contadores, operadores de empresas de fachada e empresários, que há anos fraudam o fisco mato-grossense, com uma movimentação estimada de R$ 1,4 bilhão em notas frias, conforme informações da Sefaz.

Nas duas primeiras fases da foram ouvidos cerca de 120 produtores rurais, gerando créditos tributários parcelados e quitados que superam os R$ 20 milhões. Desse montante, entre débitos parcelados e quitados, o estado já recolheu efetivamente o total de R$ 2.623.833,15.

De acordo com os órgãos de controle, após as oitivas das duas primeiras fases, foi possível identificar os principais corretores de grãos responsáveis pela utilização da empresa de fachada, em relação aos produtores inicialmente ouvidos.

Estratégico

Os trabalhos estão inseridos no planejamento estratégico de atuação da Defaz, Ministério Público e Sefaz, em alinhamento com o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira), com foco na repreensão da sonegação fiscal no estado de Mato Grosso.

Nas primeiras etapas a operação oportunizou aos produtores identificados os mecanismos necessários para o pagamento do débito e extinção da punibilidade em relação aos delitos praticados. Nesta nova fase o objetivo é ampliar as investigações, com a identificação de novos clientes do grupo criminoso investigado.

Fonte: Polícia Civil-MT

Mais notícias

Ipiranga: Criminosos tentaram decepar cabeça de homem ao vivo

Dois criminosos suspeitos de decapitar mulher morrem em confronto com as forças de segurança

Em uma semana, operações das forças de segurança dão prejuízo de R$ 9 milhões ao crime organizado

Tapurah: Polícia prende suspeito de dar suporte a roubo de Hilux

Gefron apreende 207 tabletes de entorpecentes e causa prejuízo ao tráfico de R$ 1,6 milhão

Criminoso que matou ex-namorada a facadas durante ataque de ciúme é preso