Vazio sanitário da soja inicia hoje, 15/06 em Mato Grosso

Crédito: Reprodução

O período da proibição do plantio da soja em Mato Grosso começa hoje, quinta-feira e segue até 15 de setembro, conforme comunicado pelo Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) em MT. O período, definido pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), terá duração de 90 dias. Essa medida, anualmente adotada, é tomada para evitar a multiplicação da ferrugem asiática durante a entressafra, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi.

A coordenadora de Defesa Sanitária Vegetal do Indea, Silvana Amaral, explica que o prazo definido do vazio sanitário ajuda a diminuir a incidência do fungo. Ela acrescenta que o tempo de três meses minimiza a quantidade de esporos de fungo causadores da ferrugem asiática e atrasa a ocorrência da doença na safra seguinte.

Nesta fase, o Indea também realiza fiscalizações nas propriedades, e se necessário coleta amostras para serem analisadas no Laboratório de Sanidade Vegetal. O produtor que descumprir a medida fitossanitária fica sujeito à multa e a realização de destruição das plantas vivas de soja.

Os efeitos diretos da ferrugem asiática na soja são o amarelecimento e o bronzeamento das folhas e sua queda prematura, impedindo a plena formação dos grãos. Quanto mais cedo ocorre a desfolha, menor é o tamanho dos grãos e menor o rendimento e qualidade do produto colhido.

Na safra de 2022 e 2023 foram cadastradas no Indea o total de 13,9 mil propriedades com plantio de soja, com área declarada de mais de 10,6 milhões de hectares plantados e o número de 8,3 mil produtores.

Fonte: Só Notícias

Vídeo(s) da notícia

Galeria de Imagens da notícia

Mais notícias

Moratória da Soja: Congresso analisa abertura de CPI Mista para investigar atuação de ONGS

Custos da soja em Mato Grosso sobem impulsionados pelos fertilizantes

Governo de MT lança linha de crédito de até R$ 1,5 milhão para pequenos produtores

COMISSÃO DEBATE MORATÓRIA DA SOJA E DA CARNE E CONSEQUÊNCIAS PARA OS MUNICÍPIOS DA AMAZÔNIA LEGAL

Jornalistas conhecem dados que mostram sustentabilidade da agricultura

Crise energética barra expansão da área irrigada em MT