Produtor de MT dá invertida em repórter francês sobre preservação ambiental. Vídeo

Crédito: Reprodução

O presidente do Sindicato Rural de Sinop, Ilson Redivo, deu uma invertida no repórter de uma emissora de televisão francesa que durante uma reportagem o questionou sobre a preservação da Amazônia. O vídeo viralizou nas redes sociais na terça-feira (30).

O vídeo mostra o momento em que o repórter pergunta o que o produtor rural pode fazer para ajudar na preservação do bioma. Diante da pergunta capciosa, Ilson Redivo responde que os europeus ainda não compreenderam o que os produtores fazem de concreto no Brasil no que diz respeito à política ambiental.

“Eu tenho mais da metade da minha área preservada, sem produzir. Eu pergunto o que os outros fazem. E pergunto o que você faz, eu devolvo a pergunta dizendo: o que você faz? Qual a sua contribuição para com o meio ambiente? Qual é a contribuição dos ambientalistas para com o meio ambiente?”, indagou ao jornalista.

O presidente do Sindicato Rural de Sinop ainda questionou o que os governos europeus fazem de concreto para a preservação ambiental e lembrou que a matriz energética primordial do continente anda altamente poluente.

“Qual é a contribuição dos governos europeus para com o meio ambiente? Porque eles não mudam aquela matriz energética de vocês? Porque não mudam a matriz energética da Europa de um modo geral? Qual é a contribuição que dão lá para reduzir a emissão de gases poluentes? Essa é a pergunta que eu faço. Eu estou fazendo a minha parte, companheiro, mas muito bem-feita. Se todo mundo fizesse o que os produtores brasileiros fazem o mundo seria outro com certeza, porque nós não emitimos poluentes como vocês emitem”, respondeu.

O produtor ainda apontou hipocrisia no modo como os governos e empresas da União Europeia atuam na questão da preservação da Amazônia, afirmando que empresas da Noruega fazem um “regaço” na região para explorar minério.

“Aqui tem empresas da Noruega, na Amazônia, explorando minério fazendo um regaço, fazendo um regaço e ninguém fala nada. E essa mesma empresa que nos mete o pau. Esse mesmo governo norueguês que mete o pau, que critica o meio ambiente, que fala em sustentabilidade, vai ver nas indústrias que eles têm aí explorando minério ver se são sustentáveis”, disse.

“Eu acho que isso aqui é uma coisa assim ‘faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço’. Essa conversa não é legal. Eu faço a minha parte, eu faço a minha parte muito bem-feita”, concluiu.

Fonte: Repórter MT

Vídeo(s) da notícia

Mais notícias

Déficit de armazéns em Mato Grosso para safra de milho é de 34 milhões de toneladas

Produtor precisa redobrar cuidados para evitar incêndios durante a colheita

Proibição do glifosato pode provocar prejuízo bilionário e ameaça sustentabilidade do agro

Produtores rurais têm até 30 de junho para comunicar vacina contra Brucelose

Exportações de milho crescem 40% e MT consolida posição no mercado internacional

Mato Grosso tem primeiro café produzido só por mulheres na Amazônia