Polícia encontra S-10 de assaltante na casa de empresário que família diz ser inocente

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Legenda /Crédito da Foto: Montagem/Mídia News

A Polícia Civil afirmou ter encontrado uma caminhonete S-10 de cor branca, que está em nome de Romário Batista de Oliveira, na casa do empresário Luiz Miguel Melek, em Alta Floresta, na manhã deste sábado (12).

Romário e Luiz Miguel estão entre os quatro homens mortos em confronto com o Bope, na última quinta-feira (10). Eles são suspeitos de integrarem a quadrilha que roubou duas cooperativas de crédito em Nova Bandeirantes (a 1.026 km de Cuiabá), no último 04 de junho.

A família de Melek, entretanto, disse que o empresário nada tem a ver com os crimes atribuídos ao bando e que ele foi morto por engano.

Jamais o meu irmão teria envolvimento com coisa desse tipo. O povo de Alta Floresta conhece o meu irmão, vê o tanto que a gente trabalha. Não se envolveu com problema de drogas, nunca teve passagem pela polícia. A gente tem fábrica de tela, tem sítio, a empresa de motos e ele ainda fazia frete para o garimpo”, argumentou o irmão.

No boletim de ocorrência ao qual a reportagem teve acesso, consta que uma equipe da Polícia Civil recebeu informações de que o veículo de Romário estaria na casa de Melek.

“O veículo está no nome de Romáro Batista de Oliveira, ambos estão relacionados em uma ocorrência de roubo a bancos realizado no município de Nova Bandeirantes”, diz trecho do B.O..

No registro da Polícia Civil, Romário é descrito como “Romaro”.

Amigos nas redes

Investigadores das Forças Policiais ainda apontaram que os dois eram amigos no Facebook.

Em pesquisa realizada no perfil da rede social de Melek, mostra que em seus mais de 2,4 mil amigos está Romário.

Romário, conhecido no crime como “Romarinho”, possui antecedentes criminais por furto e roubo na Bahia e Pernambuco. Luiz Miguel, por sua vez, não tem histórico de passagem pela polícia.

Outros mortos

Além da dupla, a Polícia identificou um terceiro homem dos quatros homens mortos no confronto com o Bope.

Trata-se de Maciel Gomes de Oliveira, de 37 anos.

Maciel é o que tem a ficha criminal mais longa. Segundo a polícia, ele tem passagens pelos crimes de furto qualificado, porte ilegal de arma de fogo e roubo em Pernambuco.

O confronto

O confronto ocorreu numa área rural de Nova Bandeirantes, onde os assaltantes estariam acampados.

Os policiais do Bope foram chamados pela equipe da Força Tática, depois de virem que uma camionete branca fugiu assim que o motorista avistou a barreira policial, retornado com o veículo pela Estrada Procomp.

A equipe da barreira foi atrás dos suspeitos e avistaram as pessoas abandonando o carro, correndo em direção à mata.

Os policiais do Bope então foram em busca dos suspeitos no meio da mata.

Em um dado momento, a equipe foi surpreendida por disparos de arma de fogo e iniciou-se um confronto armado.

Com os bandidos foram encontradas roupas militares, armas e parte do dinheiro do roubo.

 

Fonte: Redação/Mídia News