Pecuária de baixo carbono já é realidade em Mato Grosso

Crédito: Reprodução

Ano após ano, a sustentabilidade vem ganhando cada vez mais importância na pecuária. Impulsionada pelos consumidores e abraçada pelos frigoríficos, esta demanda hoje se tornou um diferencial competitivo na atividade, estratégia já percebida por muitos pecuaristas no estado do Mato Grosso.

A redução na pegada de carbono – número obtido a partir da divisão das emissões da produção pelo volume de carne produzido -, tem sido possível graças ao uso de práticas e tecnologias inovadoras, além de foco na gestão em campo. Os resultados têm chamado a atenção: em muitas propriedades, a pegada de carbono medida já é menos da metade da média observada na pecuária nacional.

Um exemplo real desta transformação foi apresentado no último dia 15 de março, durante a primeira etapa do 11º Simpósio Nutripura, que aconteceu na fazenda Santa Maria, em Rondonópolis. A propriedade, que é altamente produtiva, atingiu na safra 22/23 uma pegada de carbono 16.7 quilos de CO2 equivalente por quilo de carcaça, um número muito inferior à média nacional, hoje em torno de 60 quilos.

A fazenda deve melhorar ainda mais este índice na safra 23/24, quando espera reduzir a sua pegada de carbono para 14.2 quilos de CO2 equivalente por quilo de carcaça. Os resultados estão diretamente ligados às estratégias definidas em conjunto com os consultores da Nutripura e à introdução da tecnologia KonectPasto, voltada ao monitoramento de pastagens, em duas novas áreas da propriedade.

Todas as soluções desenvolvidas pela empresa serão apresentadas no evento, assim como a fórmula para transformar a pecuária convencional em uma atividade muito mais sustentável, produtiva e rentável.

Em 2024, além de Rondonópolis o simpósio passará por mais quatro cidades de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, sendo três dias de campo: Campo Novo do Parecis (13/04), Pontes e Lacerda (10/05), São Gabriel do Oeste (14/06) e um evento de encerramento com a presença de palestrantes de peso como o escritor Augusto Cury, o empresário Jorge Nishimura (sócio da Jacto) e o consultor Marcos Jank, marcado para os dias 4 e 5 de julho, em Cuiabá. As inscrições para todas as etapas já estão disponíveis através do site nutripura.com.br/simposio.

Fonte: Pauta Pronta

Mais notícias

Produtor precisa redobrar cuidados para evitar incêndios durante a colheita

Proibição do glifosato pode provocar prejuízo bilionário e ameaça sustentabilidade do agro

Produtores rurais têm até 30 de junho para comunicar vacina contra Brucelose

Exportações de milho crescem 40% e MT consolida posição no mercado internacional

Mato Grosso tem primeiro café produzido só por mulheres na Amazônia

Condições climáticas, pragas e doenças colocam em xeque rendimento por hectare da safra de soja