MT declara estado de emergência zoossanitária para ações preventivas de combate à gripe H5N1

Crédito:

Mato Grosso, atendendo a uma recomendação do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), declarou, através do decreto nº 412 publicado hoje (31.08) no Diário Oficial, emergência zoossanitária por um período de 180 dias, em virtude dos casos de gripe aviária detectados em animais silvestres e domésticos no Brasil. O Estado não tem registro de casos da influenza aviária de alta patogenicidade (H5N1), e desde que os primeiros casos foram confirmados em janeiro deste ano na Bolívia, reforçou medidas de biossegurança e monitoramento da sanidade avícola.

Além de Mato Grosso, outros estados como Mato Grosso do Sul (MS) e Tocatins (TO), também sem registro de casos de gripe aviária, seguiram a recomendação do Mapa e declararam emergência zoossanitária.

O decreto estadual, conforme explica a presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), Emanuele Almeida, é uma ação para facilitar que os estados acessem recursos da União para conter o avanço da gripe aviária no território nacional. “Nós desde o início estamos adotando medidas preventivas, tais como, vigilância direcionada as propriedades de maior risco para influenza aviária, realização de palestras para criadores de aves de subsistência e avicultores, reuniões com representantes da avicultura e vigiando a nossa fronteira, para monitorar as aves silvestres e de fundo de quintal. Estamos atentos a essa doença e alertando sobre como identificar caso algum animal apresente as características da gripe aviária”, explica a presidente.

Ela acrescenta ainda que a gripe aviária H5N1 tem circulado pelo mundo há mais de 20 anos, sendo as aves migratórias as principais disseminadoras da doença. A maior preocupação é evitar que o vírus atinja as granjas comerciais, para não comprometer as exportações de produtos avícolas. “Não há risco de transmissão do vírus através da ingestão de carnes ou ovos cozidos”, reforça Emanuele Almeida.

Mato Grosso está entre os dez estados brasileiros que mais exportam carne de frango. A atividade avícola no Estado conta com 304 granjas em 31 municípios, e cerca de 55 milhões de aves.

O que fazer em caso de suspeita de gripe aviária?
Todas as suspeitas de Influenza aviária devem ser notificadas imediatamente, presencialmente ou por telefone ao Indea. Na página da autarquia é possível encontrar o endereço e telefone de todas as unidades instaladas no Estado. Outra opção é fazer a notificação pela internet na plataforma e-Sisbravet, no endereço https://sistemasweb4.agricultura.gov.br/sisbravet/manterNotificacao!abrirFormInternet.action.

Sintomas
A influenza aviária de alta patogenicidade é caracterizada principalmente pela alta mortalidade de aves, que pode ser acompanhada por sinais clínicos, tremores na cabeça e no corpo; dificuldade respiratória, como respiração ofegante (respiração pela boca), coriza nasal e/ou espirros; Letargia e depressão; penas arrepiadas ou arrastar das pernas; falta de resposta à tentativa de apanha; asas caídas, torção de cabeça e pescoço; incoordenação e perda de equilíbrio; Edema de face, olhos fechados e excessivamente lacrimejantes, excrementos aquosos descoloridos ou soltos; andar em círculo e de costas; machas vermelho-arroxeadas de cristas e barbelas, manchas avermelhadas nas pernas, e diarreias.

Galeria de Imagens da notícia

Mais notícias

Jornalistas conhecem dados que mostram sustentabilidade da agricultura

Crise energética barra expansão da área irrigada em MT

Aprosoja-MT alerta agricultores para que fiquem atentos à notificação do CAR Digital

Sicredi disponibiliza R$ 66,5 bilhões no Plano Safra 2024/2025

Silo bolsa é opção para fugir de gargalo de armazenagem

Pesquisadores utilizam técnica para avaliar sintomas de doença na soja