Gerente de fazenda ameaça PM durante abordagem e acaba morto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Legenda /Crédito da Foto: PM-MT

Gerente de uma fazenda no estado do Pará, identificado como Enivon Fernandes Ribeiro, 36, morreu durante uma abordagem da Polícia Militar na noite de segunda-feira (7), em Vila Rica. Ele tentou fugir várias vezes e foi baleado quando ameaçou sacar uma arma que estava em sua cintura. Dois amigos dele foram presos após ameaçarem os militares.

Segundo a PM, o caso aconteceu por volta das 22h30, quando a viatura fazia rondas pela avenida Perimetral Norte e flagrou o veículo com o trio fazendo manobras bruscas. O grupo ainda chegou a acompanhar a viatura, iniciando o acompanhamento.

Mesmo com as ordens de parada, os ocupantes não obedeceram e continuaram fugindo em alta velocidade, chegando próximo de capotar em alguns pontos da via. Já em outra altura, o motorista fez uma manobra e parou de frente com a viatura.

O motorista ainda tentou dar ré, mas sem sucesso. Ele saiu do carro, levou as mãos até a cintura, quando os policiais flagraram que ele estava armado. Alegando defesa, dois tiros foram disparados contra o motorista, identificado como Enivon.

Ele estava em posse de um revólver calibre 32 com 3 munições. Os tiros disparados pela PM atingiram a região do tórax. Ambulância foi acionada e a vítima levada para o Pronto-Atendimento.

‘Cachorros do governo’

Os amigos do motorista foram detidos no local. Um deles ameaçou dizendo que estava terminando um curso de tiro em Barra do Garças e que a situação ‘teria volta’. Momento em que ele recebeu voz de prisão por ameaça.

Já o outro rapaz afirmou ‘é muito despreparado mesmo esses cachorros do governo’, relataram os policiais no boletim de ocorrência. O homem foi autuado por desacato. Dentro do veículo os policiais encontraram bebidas alcoólicas.

Enquanto o caso era registrado, os policiais foram informados que a vítima não resistiu e acabou morrendo na unidade de saúde. Enivon era gerente de uma fazenda no Pará e por isso tinha o costume de andar armado, ele fazia uso de remédios controlados, informou uma testemunha.

Fonte: Gazeta Digital