Agricultores precisam estar atentos à fertilidade do solo devido ao calor intenso em diversas regiões

Crédito: Reprodução

A intensa onda de calor que tem afetado diversas regiões em Mato Grosso pode gerar preocupações entre os agricultores, devido aos impactos potenciais na fertilidade do solo e na produção agrícola. Com temperaturas acima dos 40 °C, a falta de chuvas e a previsão de calor intenso persistindo, é crucial que os agricultores estejam atentos e adotem medidas para preservar o solo e garantir o sucesso das safras.

O calor extremo pode desencadear uma série de desafios para a agricultura, incluindo a perda de nutrientes do solo, a redução da atividade microbiana benéfica e a desidratação das plantas. Diante desse cenário, a atenção à nutrição das plantas e à fertilidade se torna ainda mais essencial para mitigar os impactos negativos das altas temperaturas.

De acordo com Alvaro Fachim, coordenador do curso de Agronomia da Faculdade Anhanguera, a orientação é para que os agricultores estejam atentos e preparados para todas as circunstâncias, garantindo a aplicação correta de fertilizantes e a manutenção de níveis adequados de nutrientes no solo.

“Diante desse contexto, a adoção de tecnologias e práticas sustentáveis, como a agricultura de precisão e o manejo integrado de nutrientes, pode ser fundamental para preservar a fertilidade do solo e garantir a produtividade das lavouras em face do calor intenso”, destaca o docente.

Abaixo, o especialista listou algumas recomendações para os agricultores enfrentarem essas condições adversas:

  • Realize análises periódicas do solo para verificar os níveis de nutrientes e matéria orgânica;
  • Adotar práticas de manejo que contribuam para a manutenção da fertilidade do solo, como a rotação de culturas e a aplicação de adubos orgânicos;
  • Utilizar variedades de plantas adaptadas às condições climáticas da região;
  • Monitorar o desenvolvimento das lavouras e tomar medidas preventivas caso seja necessário.

Sobre a Anhanguera
Fundada em 1994, a Anhanguera oferece educação de qualidade e conteúdo compatível com as necessidades do mercado de trabalho por meio de seus cursos de graduação, pós-graduação, cursos Livres, preparatórios, com destaque para o Intensivo OAB (Ordem dos Advogados do Brasil); profissionalizantes, nas mais diversas áreas de atuação; EJA (Educação de Jovens e Adultos) e técnicos, presenciais ou a distância, visando o conceito lifelong learning, no qual proporciona acesso à educação em todas as fases da jornada do aluno. São mais de 15 mil profissionais e professores entre especialistas, mestre e doutores.

Além disso, a instituição presta inúmeros serviços à população por meio das Clínicas-Escola, na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas. A Anhanguera tem em seu DNA a preocupação em compartilhar conhecimentos com toda a sociedade a fim de impactar positivamente as comunidades ao entorno das instituições de ensino. Para isso, conta com o envolvimento de seus alunos e colaboradores a partir de competências alinhadas às práticas de aprendizagem e que contribuem para o desenvolvimento do País.

Com grande penetração no Brasil, a Anhanguera está presente em todas as regiões com 106 unidades próprias e 1.398 polos em todos os estados brasileiros.

Acesse o site e o blog para mais informações.

Fonte: Assessoria Anhanguera

Mais notícias

Déficit de armazéns em Mato Grosso para safra de milho é de 34 milhões de toneladas

Produtor precisa redobrar cuidados para evitar incêndios durante a colheita

Proibição do glifosato pode provocar prejuízo bilionário e ameaça sustentabilidade do agro

Produtores rurais têm até 30 de junho para comunicar vacina contra Brucelose

Exportações de milho crescem 40% e MT consolida posição no mercado internacional

Mato Grosso tem primeiro café produzido só por mulheres na Amazônia