Roubo de carga vira crime “da moda” em Mato Grosso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Legenda /Crédito da Foto: Polícia Civil - MT

O enfrentamento a organizações criminosas realizado pela Polícia Civil de Mato Grosso ganhou um novo gás em 2021, com o aumento de mais de 184% no número de prisões relacionadas ao crime organizado.  A atuação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) teve como foco investigações especiais ligadas a crimes de sequestro, roubos/furtos contra instituições financeiras, de defensivos agrícolas e de cargas, esta última, (atribuição mais recente).

De janeiro a junho deste ano foram efetuadas 71 prisões, entre flagrantes e cumprimentos de mandados, em comparação a 25 do mesmo período do ano passado. As ações englobaram ainda prisões de integrantes de organizações criminosas envolvidas em crimes de estelionato, tráfico de drogas e adoção à brasileira. O número de prisões do semestre também já é superior em 73% ao total do ano passado, quando foram feitas 43 prisões pela unidade nos 12 meses do ano.

Em número de ações e apreensões a GCCO também já apresenta neste ano números superiores ao ano anterior. Nos seis primeiros meses de 2021, as apreensões totalizam 15 veículos (nove carros, três motocicletas, dois caminhões e um semirreboque), 17 armas de fogo, mais de R$ 64 mil em dinheiro, 358 munições de diferentes calibres.

As ações também resultaram na apreensão de três toneladas de explosivos e acessórios de detonação, aproximadamente R$ 3 milhões em defensivos agrícolas, uma carga de mais de 85 toneladas de soja. Foram também bloqueados R$ 12 milhões de contas bancárias e sequestro de diversos imóveis, valores em espécie e veículos pertencentes a criminosos, investigação realizada dentro da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco).

O delegado titular da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, que assumiu a unidade em março deste ano, destaca que o resultado positivo é um somatório de investigações realizadas pela própria unidade e também fruto da proximidade com delegacias do interior e parcerias com outras instituições.

“Através dessa aproximação com as delegacias do interior de Mato Grosso e até mesmo de outros estados, em que é dado apoio as ações operacionais e de inteligência, é possível a troca de informações que possibilitam trabalhar de forma conjunta na organização de algumas ações, garantindo maior eficácia do trabalho investigativo”, explicou.

Defensivos Agrícolas

As ações de combate a roubos, furtos, desvios e adulteração de defensivos agrícolas foi um dos grandes focos de atuação da GCCO no primeiro semestre do ano. Em uma das ações, realizada no mês de abril, mais de seis mil litros de defensivos agrícolas roubados de uma fazenda em Sapezal foram recuperados em uma propriedade rural no município de Diamantino.

As diligências também resultaram na apreensão de nove armas de fogo e diversas munições, além de três pessoas presas em flagrante pelos crimes de receptação, posse irregular de arma de fogo de uso permitido e associação criminosa. A ação foi marcada com a primeira prisão do receptador do material (dono da fazenda e que adquiriu os defensivos).“Sabemos que quem fomenta o roubo/furto de cargas e defensivos são os receptadores e desta vez conseguimos chegar ao responsável por encomendar o crime”, disse o delegado.

Três dias depois da ação, mais uma parte dos defensivos agrícolas de origem ilícita foi localizada pela equipe da GCCO. O material, avaliado em aproximadamente R$ 150 mil, foi encontrado escondido em uma região de mata, nas proximidades da mesma fazenda, no município de Diamantino.

Fonte: Repórter MT