“Os secretários cobravam propina com o maior prazer”, diz Silval

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) voltou a confessar sua participação em mais um esquema de desvios de recursos públicos do Estado em sua gestão.

Em reinterrogatório ocorrido nesta segunda-feira (17), o peemedebista ratificou seu depoimento à Delegacia Fazendária e admitiu os crimes investigados na 2ª e 3ª fases da Operação Sodoma. A audiência foi conduzida pela juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital.

Estas fases, deflagradas no ano passado, apuram esquema consistente na exigência de propinas milionárias aos empresários Willians Mischur e Julio Tisuji, donos das empresas Consignum e Webtech, respectivamente, em troca da concessão e manutenção dos contratos destas empresas com o Estado. O lucro obtido supera a faixa de R$ 18 milhões.

Silval estava preso desde setembro de 2015 e conseguiu prisão domiciliar no mês passado, após confessar os delitos e devolver R$ 46 milhões em bens aos cofres públicos.

Fonte: Midia News