Operação desarticula associação especializada em fraude eletrônica em negociações agropecuárias

Crédito: Reprodução

A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada de Estelionato e Outras Fraudes de Cuiabá, em cooperação ao Grupo de Repressão a Estelionatos e Outras Fraudes (GREF), da Polícia Civil de Goiás, deflagrou na manhã desta terça-feira (24.10) a Operação Fake Farmer para cumprimento de diversas ordens judiciais com alvo em uma associação criminosa envolvida em crimes de fraude eletrônica e lavagem de capitais.

Os trabalhos contam ainda com apoio logístico e planejamento da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ).

São cumpridos na operação 57 mandados de prisão, 61 de busca e apreensão em diversos municípios de Mato Grosso, além do sequestro judicial de R$ 1,5 milhão e o bloqueio de mais de 830 contas bancárias ligadas aos investigados.

O trabalho investigativo, realizado pela Polícia Civil de Goiás, identificou uma associação criminosa instalada em Mato Grosso, que atua de maneira especializada com o golpe do falso intermediador de vendas em negociações agropecuárias, que envolvem valores elevados e exploram muita das vezes a precariedade do sinal de internet nas zonas rurais, onde parte da transação é desenvolvida.

O setor agropecuário responde por grande parte da economia da região Centro-Oeste, motivo pelo qual as investigações desta modalidade de crime têm sido intensificadas.

Investigações

As investigações conduzidas pelo Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes, da Delegacia Estadual de Investigação Criminal da Polícia Civil de Goiás iniciaram após a comunicação de um golpe na modalidade falso intermediador de vendas, ligado à compra e venda de grande quantidade de gado.

Após manter contato com vasta lista de corretores de gado, o golpista intermediou a venda, se apresentando ao real proprietário dos animais como devedor do comprador. Ao comprador, o mesmo suspeito disse que havia adquirido o rebanho por meio de uma negociação imobiliária, enganando assim as duas vítimas.

Na negociação, o comprador foi induzido pelo estelionatário a efetuar seis transferências PIX que totalizaram um milhão e meio de reais para criminosos domiciliados em Mato Grosso que, por sua vez, pulverizaram o valor entre outras 52 pessoas envolvendo várias instituições bancárias.

O decorrer da investigação contou com a cooperação da Delegacia Especializada de Estelionatos de Cuiabá (DEEF) e de outras unidades da Polícia Civil de Mato Grosso ligadas às Diretorias Metropolitana e de Interior, responsáveis pelos trabalhos de levantamentos dos alvos na Capital e região metropolitana, bem como no interior do estado. Os levantamentos subsidiaram os pedidos de busca e apreensão e prisões cautelares.

Efetivo

A operação conta com a participação de policiais do GREF e DEIC da Polícia Civil de Goiás e de aproximadamente 200 policiais civis de Mato Grosso, da Diretoria Metropolitana, da Diretoria de Atividades Especiais e da Diretoria do Interior, equipe do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e, ainda, com o apoio logístico e de planejamento da Senasp, demonstrando a parceria e integração entre as Polícias Civis, fomentada através do Projeto Mosaico, no combate aos mais diversos crimes, entre eles as fraudes eletrônicas e lavagem de capitais.

Fonte: Polícia Civil - MT

Vídeo(s) da notícia

Galeria de Imagens da notícia

Mais notícias

Trio morre em confronto com o Bope em ‘fábrica de drogas’ e 600 kg de cocaína são apreendidos

Dupla envolvida em assassinato de homem morre em confronto com policiais da Força Tática

Irmãos são presos em flagrante transportando 25 tabletes de cocaína na MT-246

Mulher cai em golpe e perde R$ 12,6 mil em transferências PIX, criminoso se passou por funcionário do banco

Chamado na porta homem leva tiro no rosto e morre

Polícia Civil intensifica ações de combate aos crimes contra a flora no norte de MT