Operação contra exploração sexual prende 120 pessoas em Mato Grosso

Crédito: Sesp-MT

A Operação Integrada Parador 27, que mobilizou 1.062 agentes das forças de segurança de Mato Grosso visando o combate ao crimes de exploração sexual de crianças e adolescentes, resultou na prisão de 120 pessoas. A operação teve início no último dia 2 de maio e encerrou nesta quarta-feira (18.05).

A ação foi deflagrada nacionalmente pela Polícia Rodoviária Federal, com foco na malha rodoviária federal e estadual. Em Mato Grosso, foi reforçada com grande aparato da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros e Conselhos Tutelares, e estendida a 63 municípios.

A atuação dos órgãos de segurança ocorreu, principalmente, nos pontos às margens das rodovias apontadas pelo painel de monitoramento da PRF e por levantamentos locais como possíveis espaços de exploração sexual.

De acordo com o relatório da operação, seis menores vítimas de violência sexual foram resgatadas, sendo quatro no município de Apiacás (984 km de Cuiabá) e duas em Nova Bandeirantes (997 km da Capital). Ao todo, 6.757 pessoas foram abordadas, 68 denúncias apuradas e 608 locais foram fiscalizados.

A operação contou com a realização de 282 blitz, nas quais 131 pessoas acabaram sendo conduzidas a delegacias por suspeita de outros crimes, e seis adolescentes apreendidos. Ainda, na apreensão de 29 armas de fogo, seis armas brancas, 527 munições e dezenas de porções de entorpecentes.

O secretário-adjunto de Integração Operacional, coronel PM Juliano Chiroli, avaliou como positivo o saldo da operação, destacando que as forças de segurança estão empenhadas no combate à exploração sexual e todas as formas de violência conta as crianças e os adolescentes.

“Foi uma importante integração em âmbito estadual que demonstrou preocupação e interação das nossas forças de segurança”, assinalou.

A Operação Parador 27 foi coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com apoio do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, e ocorreu nos 26 estados e no Distrito Federal.

Fonte: Sesp-MT

Mais notícias

convenioss

Governador assina mais de R$ 473 milhões em convênios para a região, Itanhangá incluso

facção

Comandante-geral da PM admite guerra entre facções em MT

Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro.

Crimes virtuais e Pix impulsionam aumento de 179% dos estelionatos

siccredddii

Sicredi chega à marca de 6 milhões de associados

redol

Passageiro com câncer passa mal e morre no saguão de Rodoviária

xuxudamolim

Itanhangá: Emenda de Xuxu Dalmolin destinada à saúde é paga pelo estado

%d blogueiros gostam disto: