Homem mata amigo asfixiado e diz que reagiu à tentativa de estupro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Legenda /Crédito da Foto: Reprodução

Nelson Pereira de Oliveira, 52 anos, morreu após ter sido asfixiado durante a madrugada desta terça-feira (17), em uma residência, no Jardim Atlântico, em Rondonópolis. O suspeito de 24 anos se entregou a Polícia Militar (PM) e explicou que sofreu ameaças por parte do homem, que queria obrigá-lo a ter relações sexuais com ele.

Quem acionou a Polícia Militar foi o próprio suspeito, que informou ao 190 sobre o homicídio e ainda passou o endereço do local do crime. A equipe então foi até lá e encontrou o homem.

A PM foi recepcionada pelo suspeito que disse que estava na residência de seu pai ingerindo bebida alcoólica quando a vítima chegou ao local.

Ele ainda pontuou que  estava à procura de uma casa para alugar pois precisava se mudar, sendo que Nelson disse que tinha uma à disposição e os dois seguiram até o local para fechar o negócio.

Durante a apresentação da residência, o suspeito disse que Nelson começou a se insinuar e trancou o portão da casa. Além disto, disse que ele  fez ameaças dizendo que tinha uma arma de fogo na residência.

Nelson ainda teria dito, conforme o suspeito, que caso o suspeito não se relacionasse sexualmente de forma passiva, iria matá-lo.

Diante disso, a vítima e o suspeito entraram em luta corporal, momento em que o suspeito deu uma gravata em Nelson vindo a asfixiá-lo.

Quando percebeu que o homem havia morrido, o suspeito então acionou a PM. Na Delegacia, o suspeito foi questionado se estava arrependido de ter cometido o homicídio, ele relatou que de forma alguma se arrependeu e que deveria ter batido mais ainda na vítima.
O caso é investigado pela Polícia Civil.

Fonte: Redação/Olhar Direto