Explosão de dinamites mata empresária e funcionário em garimpo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Legenda /Crédito da Foto: Reprodução

Cinco pessoas ficaram feridas com a explosão de dinamites em um garimpo localizado na zona rural de Guarantã do Norte. Duas das vítimas não resistiram e morreram no local, uma delas é Daniella Trajano Dalffe, filha dos empresários Roberto Carlos Dalffe de Araújo e Delma Trajano Dalffe de Araújo. Já a outra vítima ainda não teve a identidade confirmada.

De acordo com as informações apuradas, a explosão aconteceu durante a madrugada desta sexta-feira (20), por volta das 2h15. Polícia Militar foi acionada pela equipe do Hospital Municipal, informando que vítimas deram entrada na unidade com queimaduras pelo corpo.

Eles relataram que estavam trabalhando no garimpo quando aconteceu a explosão, mas se negavam a responder algumas questões. Um deles acabou explicando que o grupo estava descarregando uma carga de dinamites – cerca de 30 caixas – mas não sabem como ocorreu a explosão.

Outras testemunhas informaram que não viram como aconteceu, já que estavam no alojamento e que só saíram para prestar o socorro para os colegas de trabalho. Afirmaram ainda que não existe jornada noturna no local, que o horário vai das 7h às 17h.

Local isolado

À reportagem, a Polícia Civil informou que o local do crime está isolado já que corre risco de uma nova explosão. Por isso, os trabalhos de perícia na cena ainda não foram iniciados. Duas pessoas morreram na hora, sendo um homem e uma mulher, que é a única identificada até o momento.

Daniella Trajano Dalffe é filha do empresário Roberto Carlos Dalffe de Araújo e Delma Trajano Dalffe de Araújo. A família é dona de uma empresa que atua há mais de 15 anos em obras de mineradoras, construtoras, barragens, PCHs e outras.

Por conta de ainda ter outros explosivos no garimpo, os agentes da polícia e da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) não conseguiram se aproximar da região. Uma unidade especial da Gerência de Operações Especiais (GOE) foi acionada e segue de Cuiabá até a região para desarmar os explosivos.

Fonte: Redação/Gazeta Digital