Escrivão da polícia cobrava propina para liberar presos e ficava com joias e celulares

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Legenda /Crédito da Foto: Polícia Civil - MT

A Polícia Civil fez, ontem, 01/07, no final da tarde, a prisão em flagrante de um escrivão de polícia, lotado na delegacia de Sinop, acusado de envolvimento nos crimes de tráfico de drogas, posse ilegal de munições de uso restrito e peculato. O policial foi encaminhado para o complexo da Polícia Civil em Sinop, onde o flagrante foi lavrado, pelo delegado regional Carlos Eduardo Muniz.

Durante as buscas no imóvel dele, foram apreendidos diversos objetos, produtos de possíveis apreensões em ações policiais e que foram desviados da delegacia. Entre o material apreendido estão aparelhos celulares, notebooks, porções de entorpecentes (maconha e cocaína; algumas delas ainda com lacre de perícia da Politec), relógios, joias, cheques, dinheiro, uma espingarda e a chave de um veículo.

As investigações que resultaram na prisão do escrivão iniciaram após informações recebidas de que o policial civil estaria envolvido no desvio de bens apreendidos na delegacia.

A denúncia foi feita por um adolescente conduzido ao plantão policial de Sinop, no último domingo. Na ocasião, foi lavrado um boletim e, em seguida, procedida a liberação do menor, que não teve o seu aparelho celular devolvido.

Durante a apuração dos fatos, surgiu a informação que o adolescente foi liberado ao advogado, ao invés do responsável legal, mediante o pagamento de R$ 300 ao escrivão e que o aparelho celular também faria parte da negociação.

Com a possibilidade de que o aparelho celular havia sido desviado pelo escrivão e que ainda estava em sua posse, foi representado pelo mandado de busca e apreensão domiciliar, que foi deferido pela Justiça e cumprido, na residência do escrivão.

A Corregedoria Geral da Polícia Civil foi imediatamente informada dos fatos e adotará as providências no âmbito administrativo-disciplinar.

Fonte: Polícia Civil - MT