Empresário de MT é investigado por comercializar armas com integrantes de facção criminosa

Crédito: Reprodução

Um empresário e colecionador de armas, é investigado pela Polícia Civil por comercializar armas de fogo com integrantes de uma facção criminosa que atua na região de Peixoto de Azevedo. O suspeito foi preso, na manhã deste sábado (1°), em Sinop (MT).

Segundo a Polícia Civil, o empresário fugiu para Sinop há alguns dias. Na operação, também foram cumpridos mandados de busca e apreensão que resultaram na apreensão de duas armas de fogo.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Geordan Fontenelle, as investigações começaram após a Polícia Militar entrar em confronto com dois suspeitos e na ação foram apreendidas duas armas.

“Um dia após o confronto, o empresário foi até a delegacia e registrou um boletim de furto, alegando que duas armas do seu arsenal tinham sido furtadas. Entretanto, a polícia notou que não havia sinais de arrombamento. A polícia continuou com as investigações e também notou que o indivíduo utilizava o nome da Polícia Civil, se apresentando como informante oficial da instituição para vítimas de roubos de caminhões, dizendo que podia recuperar esses bens caso essas pessoas pagassem um valor para ele”, disse.

A investigação

A equipe da Delegacia de Peixoto de Azevedo vinha investigando diversos homicídios ocorridos na região, com suspeita de autoria de integrantes de uma facção criminosa. No final de abril, os suspeitos Luiz Augusto Lima Campo e Aldo Antunes Lopes da Silva morreram em confronto com a PM.

O investigado, após saber que uma das armas que estava em seu nome, foi apreendida com os criminosos mortos na ação, registrou um boletim de ocorrência, alegando que sua arma havia sido furtada de sua residência.

O empresário, que também era colecionador, possuía quatro armas de fogo registradas em seu nome, porém no boletim de ocorrência alegou que apenas duas armas haviam sido furtadas da residência. Na casa, não havia sinais de arrombamento, e as outras duas armas que também estavam na residência, não teriam sido levadas pelos supostos criminosos.

A Policia Civil instaurou inquérito policial e apurou que os integrantes mortos em confronto eram os responsáveis por vários sequestros e homicídios em Peixoto de Azevedo por ordem da facção criminosa.

As investigações apontaram que arma pertencente ao empresário foi utilizada em vários homicídios ocorridos na cidade.

Segundo a polícia, as armas apreendias e o aparelho celular do empresário serão encaminhados para a perícia.

Fonte: G1 - MT

Vídeo(s) da notícia

Galeria de Imagens da notícia

Mais notícias

Bombeiros fazem buscas subaquáticas por motocicleta da filha de Cattani

Sema e Policia Militar apreendem carretas com castanheiras durante fiscalização

Tapurah: Condenado a 14 anos pelo estupro da filha é preso pela Polícia Civil

PM prende seis pessoas em flagrante por invasão e extração ilegal de madeira

Jovem é morto atropelado por caminhão betoneira após discussão com motorista

Ipiranga: PRF apreende carga de madeira ilegal