Em 2 anos, 288 pessoas morrem afogadas em MT

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Legenda /Crédito da Foto: Divulgação

Equipes do Agrupamento de Mergulho autônomo do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso (CBM-MT) estarão percorrendo, a partir deste domingo (15.08), os principais rios, lagos e cachoeiras da baixada cuiabana para prevenir os banhistas sobre pontos críticos, com alto risco de afogamento, que devem ser evitados.

O objetivo é levar informações para conscientizar a população e prevenir grandes tragédias. Conforme o relatório de atendimento de registro dos casos por afogamento, nos últimos dois anos e meio, 288 de pessoas morreram afogadas em rios de Mato Grosso. Em 2019, foram registrados 107 casos e em 2020 o número saltou para 113 óbitos. Somente no primeiro semestre de 2021, 68 pessoas morreram afogadas.

Segundo o comandante da unidade Regional I do Bombeiro Militar, tenente coronel João Paulo Nunes Queiroz, com a chegada do período intenso de estiagem, o número de pessoas nos locais de banho deve aumentar, elevando a probabilidade dos riscos de acidentes, pois muitos banhistas ainda insistem entrar em locais impróprios.

Um dos lugares considerado inapropriado para o banho, de acordo com o mapeamento realizado pelo Grupo de Mergulho, é o Rio Cuiabá.  Segundo os bombeiros, o local apresenta águas turvas, corredeiras em excesso, além de bastante rebojos um risco eminente de afogamento que deve ser evitado pelos banhistas.

Recomendações

– Banhistas devem procurar fazer uso de rios menores, com águas calmas e transparentes;

– Não ingerir bebidas alcoólicas antes e durante o banho;

– Pais ou responsáveis devem ficar atentos e perto das crianças; o uso de coletes e boias flutuantes é indispensável, aumenta a segurança;

– Entre em rios com água que possuem profundidade abaixo da linha da cintura.

Fonte: Folha Max