Criar galinha pode ser um bom negócio para os agricultores familiares

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

m plena expansão em Mato Grosso, a cadeia produtiva da avicultura, além da criação comercial de aves, tem também iniciativas em alguns municípios para a criação de frango caipira e semicaipira. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o plantel mato-grossense é de cerca de 8 milhões de aves. Ao todo, são pelo menos 550 aviários e 250 avicultores.

Vale dizer que a maioria dos avicultores mato-grossenses possuem de dois a quatro aviários e, pelo menos, 65% são considerados médios produtores. Pequenos avicultores são cerca de 20% e somente 10% são considerados grandes.

A avicultura comercial está em várias regiões do Estado. Nova Mutum é o município com maior número de aviário, cerca de 500. Já Nova Marilândia tem somente 80 aviários, considerado o município com o menor número de granjas. Em Lucas do Rio Verde são 181 aviários, Sorriso tem 265, Tangará da Serra 171 e Campo Verde 326.

Apesar deste panorama considerado positivo, o que tem chamado a atenção é a criação de galinha caipira e semicaipira. No último mês de julho, a secretaria de estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf-MT) e diversos outros parceiros montaram, na Escola Estadual Agrotécnica de Poxoréu, uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) de Avicultura de Postura.

A avicultura comercial está em várias regiões do Estado. Nova Mutum é o município com maior número de aviário, cerca de 500. Já Nova Marilândia tem somente 80 aviários, considerado o município com o menor número de granjas. Em Lucas do Rio Verde são 181 aviários, Sorriso tem 265, Tangará da Serra 171 e Campo Verde 326.

Apesar deste panorama considerado positivo, o que tem chamado a atenção é a criação de galinha caipira e semicaipira. No último mês de julho, a secretaria de estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf-MT) e diversos outros parceiros montaram, na Escola Estadual Agrotécnica de Poxoréu, uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) de Avicultura de Postura.

Já em São Pedro da Cipa, os produtores João Moreira, de 78 anos e sua esposa Terezinha Martins de Souza, de 67 anos, proprietários do Sítio Sossego inovaram na criação de galinhas. Com o investimento de aproximadamente R$ 900, Moreira construiu um galinheiro móvel para 30 galinhas poedeiras. Esta nova tecnologia, como foi chamada pelos produtores vai garantir a proteção dos ovos dos predadores.

A produção de galinhas, frangos e ovos caipiras consiste em alternativa de renda e segurança alimentar para o agricultor familiar. A atividade requer baixo custo de instalações e é possível desenvolvê-la em aviários (galinheiros) alternativos, utilizando-se materiais reaproveitáveis e disponíveis na propriedade, como sobras de materiais de construção (tubos, lonas, madeiras, forros de PVC), bambu etc.

Nossa Senhora do Livramento é outro município onde um grupo de 23 produtores rurais estão investindo na criação de galinhas caipiras e semi-caipiras. Eles são das comunidades de Aguaçu, Ponte da Estiva, Mata Cavalo, Mutuca e União Boa Vida.

Fonte: Senar/MT

Galeria de Imagens da notícia