Aprosoja-MT alerta produtores para diminuir o uso de fertilizantes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso, (Aprosoja-MT) Fernando Cadore, enfatizou que o momento do mercado é de alta dos preços e que o produtor não precisa ter pressa para comprar.

“Não precisa ter pressa para pagar caro! Os preços de fertilizantes mais que dobraram no mercado. Essa é uma decisão pessoal de cada produtor, mas ele não pode pagar esse preço”, pontuou Cadore.

A entidade ainda ressalta que a safra 2022/2023, com a alta dos preços e a falta de insumos, o produtor rural deve buscar uma consultoria agronômica e fazer uso racional de fertilizantes, usando a reserva de solo.

“Use menos adubo. Utilize sua reserva de solo e otimize a viabilidade da safra. Procure a orientação do seu agrônomo, avalie os nutrientes que seu solo possui e se for possível plante sem adubar, utilizando apenas a reserva de solo”, destaca o presidente.

Além dos fertilizantes, o preço de muitos outros itens utilizados na lavoura subiu. É o caso dos maquinários, combustível e matéria prima. Por isso a recomendação é evitar comprar sem necessidade para poder diminuir os custos.

“Não é hora de comprar maquinários e fazer dívidas. Os preços estão cada vez mais altos e a aquisição sem necessidade pode causar endividamento do produtor.” Frisa o presidente da Aprosoja-MT

Fernando Cadore ainda pontua que se for preciso o produtor tem que plantar sem fertilizantes. “Se possível, o produtor deve fazer o uso zero de adubos, para melhor a viabilidade da lavoura e se manter na atividade.”

CTECNO

O produtor pode consultar a Aprosoja-MT para analisar estudos de viabilidade realizados no Centro Tecnológico Parecis (CTECNO), onde os fatores testados são o uso racional dos adubos e também a redução da adubação em tempos de crise para não prejudicar a renda do produtor.

“Estamos há anos pesquisando no CTECNO Parecis a viabilidade da diminuição do uso de fertilizantes em tempo de crises. É melhor produzir menos e fechar a safra no lucro, do que adquirir insumos com preços muito elevados e no final ficar no prejuízo.”

RESERVA DE SOLO

A reserva ou poupança no solo é quando a lavoura retém nutrientes aplicados de outras safras. O produtor, ao longo do tempo, aplica os insumos projetando uma produção mais alta, fazendo com que permaneça no solo uma quantidade de nutrientes. Outro fator que auxilia na manutenção da adubação no solo é o plantio direto.

Fonte: Assessoria Aprosoja-MT

Mais notícias

aftosa

Indea prorroga vacinação contra febre aftosa até 10 de dezembro

leitche

Itanhangá: Cadeia produtiva de gado leite e corte é tema de Dia de Campo

maqui

Setor de máquinas agrícolas tem 40% de crescimento em 2021

rurrais

Produtores rurais de MT terão desconto em renovação de cadastro na Energisa

aft

Comunicação da vacinação contra febre aftosa passa a ser online

indea

Itanhangá: Produtores devem informar o INDEA sobre o plantio de soja

%d blogueiros gostam disto: