Dicas, receitas, informações e entretenimento.

Dores no ombro podem indicar tipo raro de cancer

Compartilhe nas redes sociais

Todas as dores persistentes no corpo são preocupantes e merecem atenção médica pois podem ser sintomas de problemas de saúde graves. Uma dor progressiva no ombro, por exemplo, é o principal sintoma de um câncer agressivo, conhecido como tumor de Pancoast.

O tumor de Pancoast é um câncer de pulmão específico, que ocorre no topo do órgão e, devido ao seu crescimento, vai comprimindo nervos e artérias da região, causando especialmente dor nos ombros.

Sintomas

“A parte mais alta do nosso pulmão está entre vértebras, costelas e em uma região onde passam muitas artérias e nervos. Quando o câncer de pulmão aparece ali, ele não tem espaço para crescer a não ser comprimindo outras partes do corpo, o que causa esse tipo de dor, que é bastante típica”, afirma o oncologista Murilo Buso, do Cettro (Centro de Câncer de Brasília).

Segundo Buso, as dores do tumor de Pancoast são bastante características e se assemelham aquela sensação de golpear o cotovelo. “É uma compressão de nervo que vai ocorrendo continuamente”, alerta ele. Antes dessa dor constante, porém, é comum que se apresente uma sensação de formigamento e de calor na região.

O nervo da face também pode ser um dos afetados pela compressão, levando a sintomas como a queda da pálpebra. O tumor também pode diminuir as artérias que passam na região onde está localizado. Nestes casos, o fluxo sanguíneo para o braço próximo àquele pulmão diminui e são observados outros sintomas, como a diferença de coloração e de temperatura entre um braço e o outro.

“A compressão do nervo do braço pode levar a lesões permanentes, com uma perda da força e funcionalidade do braço, especialmente com uma debilitação dos movimentos do dedo mindinho do braço afetado”, alerta o oncologista.

Sinal de alerta

Um fator que contribui para a evolução deste tipo de tumor é a demora em conseguir o diagnóstico correto. Como a dor é localizada no ombro, a maioria dos pacientes busca assistência de um ortopedista para se tratar.

“Os profissionais de saúde, mesmo que não sejam oncologistas, irão pedir exames de imagem em que certamente apareceram sinais do tumor. O problema maior consiste no paciente se acostumar com a dor persistente e com a perda de força e não procurar o médico”, diz Buso.

 

 

Fonte: Metropoles

Fonte:

Mais posts

Gostaria de divulgar seu evento no ITA Notícias?

Clique no botão abaixo e saiba como.